Input e Output – Sacada Ninja para Aprender Inglês Rápido

INPUT E OUTPU (Técnica Ninja de Estudo do Inglês)

arte-ninja

Conheça aqui qual o significado destas duas palavras, input e output, e como elas podem te ajudar nesta tua jornada de estudo da língua inglesa. Sem dúvidas este é um conhecimento importantíssimo, pena que poucos têm acesso, aproveite!

De maneira geral nós sabemos que existem quatro habilidades que precisam ser aprimoradas para que você consiga resultados fluentes no inglês.

Elas são Reading (leitura), Writing (Escrita), Speaking (Fala) e Listening (Escuta).

Se você observar um pouco, existem duas habilidades em que você se “abastece” do idioma, e existem outras duas que você “gasta” o idioma, é sobre isso que vamos conversar agora.

INPUT:

Reading (Ao ler você se abastece do inglês, põe ele para dentro)
Listening
(Ao ouvir você se abastece do inglês, põe ele para dentro)

OUTPUT:

Writing
(Ao escrever você “gasta” o inglês, põe ele para fora)
Speaking
(Ao falar você “gasta” o inglês, põe ele para fora)

O QUE É INPUT?

input

Recorrendo ao dicionário para dar a definição da palavra Input podemos encontrar a seguinte definição:

Input: 1 entrada, contribuição.

Ou seja, input é o conhecimento que você absorve, é o conhecimento de entrada.

Trazendo para a nossa realidade no inglês, o input é todo o conhecimento adquirido através do Reading (leitura) e o do Listening (Escuta do inglês), é através do aprimoramento destas duas habilidades que você se “abastece” do inglês.

É necessário que você faça a leitura desta deste artigo com bastante atenção, principalmente quando trato sobre o input, pois se você não compreender qual a relação entre o input e o aprendizado de idiomas você simplesmente não vai estudar aprender inglês de maneira efetiva.

A IMPORTÂNCIA DO INPUT

O input é sem dúvidas o segredo do seu aprendizado no inglês ou de qualquer outro idioma, quanto mais inglês você tiver contato através da escuta e da leitura mais rápido você vai aprender a falar inglês.

É necessário que você se “abasteça” do inglês para que depois você venha aprender a falar inglês.

De acordo com o seu contato input com a língua inglesa (com escuta e a leitura em inglês), você vai sem dúvidas nenhuma se abastecendo do inglês a partir do momento que o seu cérebro ao ter contato com a língua, começa a armazenar grande parte de todas essas informações em inglês que você consome, isso mesmo, como se fosse um computador.

Não existe ninguém que consiga falar sem ouvir, muito menos alguém que consiga escrever sem ler, sendo assim a leitura e a escuta são habilidades fundamentais se você deseja aprender a escrever ou falar o inglês fato.

Sabe… as vezes eu fico muito triste ao prestar atenção nestes métodos tradicionais de estudo, aonde invertem este processo e consequentemente isso reflete no não desenvolvimento do aluno.

Existe uma estatística triste aonde aponta que o Brasil é o país que mais possuem escolas de inglês do mundo inteiro, porém menos de 10% da população é fluente em inglês, tem alguma coisa errada ai certo?

A verdade é que grande parte dessas escolas ainda ensinam de maneira tradicional, elas invertem o processo e apresentam primeiro o Output e depois o Input, elas simplesmente enchem o aluno de gramática e exercícios, o fazem interpretar textos, além de fazer provas orais, quando na verdade o aluno precisa é do contato prévio com o inglês de maneira input para que isso aconteça e flua naturalmente.

SE “ABASTECENDO”DE INGLÊS REGULARMENTE

Tudo é hábito, para que você aprenda a falar inglês é necessário que você crie o hábito de se abastecer de inglês regularmente.

Como se daria esse abastecimento?

Bom, é necessário apenas que você tenha contato com o inglês de maneira que você aprimore suas habilidades que formam o processo de aquisição input de língua, ou seja, você precisa aprimorar o seu Listening (escuta) e Reading (leitura) constantemente.

Algo que é muito importante levar em consideração também, é que este abastecimento precisa ser realizado através de um material em inglês que você conheça ao menos uma parte das palavras que estão ali presentes, não vai adiantar de nada se você ouvir ou ler algo que não entende…

É preferível também que ao invés de ficar trocando de material você estude algo que entende repetidas vezes, seja lendo um texto ou assistindo uma série, ou até mesmo ouvindo músicas em inglês!

Para que o aprendizado ocorra, é necessário ir aos poucos, passo a passo e se entrosando aos poucos com o inglês.

O QUE É OUTPUT?

output

Recorrendo ao dicionário para dar a definição da palavra Output podemos encontrar a seguinte definição:

Output: saída sf , saída de dados

Ou seja, Output é o conhecimento que você “gasta”, é o conhecimento de saída.

Trazendo para a nossa realidade no inglês, o output é todo o inglês que você usa para se comunicar com as pessoas, seja por Writing (escrita) ou por Speaking (fala).

A IMPORTÂNCIA DO OUTPUT

O output tem uma importância secundária quando se trata de aprender uma nova língua.

Apesar de ser muito importante falar e escrever em inglês, de nada adianta se você não souber o quê ou como escrever ou falar em inglês.

Sendo assim é necessário tomar o Input como principal forma de estudo.

A relação é simples e direta, para aprender a falar inglês é necessário que você aprenda primeiro a ouvir o inglês a ser falado, é necessário também que antes de escrever exista um conhecimento prévio derivado da leitura.

Sendo assim, se você deseja ter resultados no Output (falar e escrever), é necessário que primeiro você foque os seus estudos no Input (ouvir e ler).

Quanto mais você ouvir e ler o inglês, mais você vai falar e escrever inglês.

“GASTANDO” O SEU INGLÊS

O termo “gastar” é utilizado apenas para melhor exemplificar o inglês que você coloca para fora de você, esse é o inglês Output.

É necessário que você coloque o seu inglês para fora, além de ser muito importante, mas, existem algumas regras a serem avaliadas antes que você saia falando ou escrevendo em inglês.

Confira quais são estas regras abaixo.

1: É necessário que a fala seja consequência da escuta e que a escrita seja consequência da leitura.

2: Não exija a perfeição para poder falar ou escrever, encare a perfeição como o melhor que você pode fazer no momento.

3: Ao invés de sair estudando todas as expressões do mundo, foca nas mais usadas e que consequentemente você vai usar.

Levando em consideração estas regras acima, o seu inglês vai fluir mais naturalmente.

80% DE ENTRADA E 20% DE SAÍDA.

Após conhecer o Input e o Output, é necessário que você conheça agora a regra do 80% de entrada para 20% de saída.

Esta regra é bem simples de ser compreendida e bem valiosa quando se trata de trazer resultados.

Antes que você comece a falar o inglês é necessário que você tenha se abastecido do inglês, lembra de quando falei sobre o Input?

Bom, este é o segredo para que você tenha uma boa desenvoltura ao falar o inglês ou qualquer outra língua, sempre o tempo em contato com a língua de maneira Input, ou seja, ouvindo e lendo, deve ser superior ao contato com a língua de maneira Outuput, ou seja, falando e escrevendo.

Sabendo desta regra e princípio, é mais importante que você passe o dia inteiro ouvindo o inglês do que falando o inglês.

Lembre-se, você não vai apenas ouvir o inglês de maneira aleatória e sem rumo, é necessário seguir umas regras básicas para que o seu estudo através do Input tenha resultados, basta ler novamente o tópico “SE ABASTECENDO DO INGLÊS REGULARMENTE” para compreender qual a maneira mais efetiva de se estudar o inglês através do Input.


 

Para finalizar, NÃO esqueça de deixar o seu comentário…

…Não esqueça também de assinar a nossa Lista VIP e ficar por dentro de todos os conteúdos do site em primeira mão.

-> Quero assinar Lista VIP (É GRÁTIS)!

Obrigado pela sua visita!!

See you soon! 😉

  • Maria

    Triste mesmo essa estatística, eu saí de 2 escolas super tradicionais por conta desse método engessado que eles tem só pra segurar alunos mesmo. Estudando sozinha aprendi muito mais do que nessas escolas. Quando digo estudando, quero dizer ouvindo muito e não escrevendo e decorando.

    Na sua opinião, você acha que uma pessoa com nível básico conseguiria acelerar esse processo fazendo aulas de conversação por vídeos (de preferência com professores), mesmo não possuindo um vocabulário muito variado? Ou isso só seria interessante para que já é avançado?
    Quero muito sair desse nível básico, mas me sinto meio perdida com tanta informação e tanta coisa disponível.
    Obrigada por compartilhar seus conhecimentos, tem me ajudado muito.

    • Acredito que a conversa por si só não vai te “tirar” do básico, é necessário unir essa conversação com um estudo Input da língua de maneira contínua e diária e quando chegar no dia da aula de conversação, você utiliza o que aprendeu durante o período anterior da aula. Então o casamento perfeito para que você saia do nível básico é esse:

      Estudo contínuo e regular da língua de maneira Input + Conversação… sempre lembrando da regra do 20% de output para cada 80% de input!

      Espero ter te ajudado, caso a resposta não ficou clara, sinta-se livre para fazer a pergunta novamente!

      Abraços e obrigado pelo comentário!! 😉

  • Dica Menezes

    Jota…obrigada pela super dica. Confesso que tento muito fazer listening, mas quando percebo estou divagando e pensando em outras coisas. Vou continuar tentando.

    • Olá, muito obrigado pelo seu comentário 😉 Continua sempre, e te aconselho a ler os outros artigos do blog, tenho certeza que irão te ajudar!

  • Juan

    Jota, ótimo artigo. Durante a minha vida estudei inglês errado, muita gramática e para piorar durante a minha tese de mestrado tive que traduzir muitos artigos do inglês para o português sem saber falar nem escutar e criei o hábito de traduzir tudo. Acho que estou num nível intermediário, mas não consigo entender diálogos longos o falar extensamente. Na realidade travo tanto para falar como para entender, depois de algumas hora “cai a ficha” e vejo que entendi com atraso. Estou na fase de ouvir e ler analiticamente, mas tem horas que desanima. Tratarei de colocar mais INPUT no meu aprendizado autodidata.
    Muito grato,
    Juan

    • Não desiste, vai aos poucos mesmo e no seu ritmo!
      Quando desistir não é uma opção o sucesso é inevitável… abraços, volte sempre e obrigado pelo comentário.

  • Christiano Amaral

    Boa tarde, Jota Filho! Gostei muito do seu artigo. Todo professor deve levar em consideração o Input e o Output na sua prática diária, nos momentos de planejamento de atividades. Conhecer seu aluno e saber o precisa e como deve ser dirigido esse estudo. Concordo com você na porcentagem de falantes e não falantes. Hoje, muitos cursos têm nome. Mas no fundo, sabemos que falta uma estrutura humana, quero dizer professores-presquisadores que se envolvem no processo ensino-aprendizagem de uma língua estrangeira. Existem muitos monitores (ex-alunos) que na verdade, não são professores, não passaram pela Universidade. Saber falar é uma coisa, saber ensina é outra. Mas isso já é um outro assunto. Um grande abraço!

    • Muito Obrigado pelo seu comentário meu amigo, isso mesmo, assino embaixo no que você falou!!

      Um grande abraço, volte sempre…
      Sinta-se parte da família Inglesar.

  • Francielle Kratsch

    Boa tarde, comprei o programa ontem, não estou conseguindo fazer login e os emails não me respondem.

  • Cristiano Alves

    Comprei o produto R$ 197,00 e até hoje não vim nenhum benefício!!…Absolutamente nada!….As dicas gratuitas são realmente boas e achei que após o pagamento iria melhorar ainda mais…Tem como pegar o dinheiro de volta Jota Filho??